Veja também:

Altar, espaço sagrado.

Peji.

Congá.

 

Usualmente, por influência dos costumes católicos enraizados nos cultos afro-brasileiros, o Gongá é montado sobre uma plataforma elevada, mas, ritualmente, poderia se constituir de uma simples mesa sobre a qual seriam colocados os objetos sagrados.

Nos Candomblés tradicionais, o Peji, em geral, fica situado numa sala separada do restante do terreiro, onde ninguém deve entrar, a não ser o babalorixá e o iniciado que esteja sendo orientado no momento.

No Gongá são depositados os objetos rituais representativos dos Orixás, seus assentamentos e as quartinhas de água oferecidas a cada qual.

É também no Gongá que são oferecidas as comidas e bebidas rituais destinadas aos Orixás.

Na Umbanda, o Gongá também é sinônimo de altar, porém, geralmente, fica localizado na sala do terreiro onde tem lugar as cerimônias, e tem seu acesso franqueado, tanto aos filhos da Casa como à assistência.

Na Umbanda, ao mesmo tempo que contém objetos ritualísticos do Orixás, o Gongá também recebe imagens dos santos católicos sincretizados com as divindades africanas, assim como as representativas dos pretos-velhos, caboclos e outras entidades.

Gongá

©2020 by Sylvio Pires Gachido. Todos os diretos reservados. WebDesigner Adriana Cruz